quarta-feira, 17 de setembro de 2008

D'AMBROSIO_INTERFACE_HISTÓRIA_MATEMÁTICA

"Para quem e para que serve a História da Matemática?"

D'AMBROSIO, Ubiratan. A interface entre História e Matemática. Disponível em <http://vello.sites.uol.com.br/interface.htm> Acesso em 17 set.2008.

Modelagem Matemática

Uma boa leitura sobre a Modelagem Matemática:

BARBOSA, Jonei. Modelagem na Educação Matemática: contribuições para o debate teórico. Disponível em <http://www8.pr.gov.br/portals/portal/institucional/def/areas/matematica/modelagem.pdf>Acesso em 17 set.2008

Vídeo boom

http://br.youtube.com/watch?v=npXSZrnXUo0 Apesar de ser em desenho, considerei o vídeo instigador para uma questão: "Por que será que ouvimos tantas pessoas; adultos e crianças dizerem: EU ODEIO MATEMÁTICA " ??

Ensinar Matemática também é alfabetizar?

Sobre Alfabetização funcional, "(...) trata-se de uma característica dos componentes de uma sociedade, medida em níveis. Pessoas com baixo grau de alfabetização funcional são denominadas analfabetos funcionais."

"A definição atualmente aceita de alfabetização funcional vem de um levantamento norte americano denominado YALS - Young Adult Literacy Survey, de 1985 (Kirsch and Jungeblut, (1986). Segundo o YALS, a alfabetização funcional é “... a habilidade (de um indivíduo adulto) de usar informação escrita e impressa para funcionar em sociedade, para atingir seus objetivos e para desenvolver seu conhecimento e potencial.”"

Então, dar aulas de Matemática também éalfabetizar?

MOREIRA, Daniel Augusto. Produtividade, Desenvolvimento e Alfabetização Funcional: Algumas Constatações. Disponível em <http://www.ipm.org.br/ipmb_pagina.php?mpg=4.07.01.01.00&num=19&ver=por> Acesso em 17 set.2008.



O USO DA INTERNET E A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

"(...) São muitas as mudanças que acontecem nas áreas
política, econômica e social, com o surgimento das Tecnologias de Informação e
Comunicação, o que acaba nos levando a uma sociedade onde o conhecimento é muito
valorizado. No entanto, na Educação as mudanças são mais lentas, uma vez que acabam por
repercutir em alterações na escola, no papel do professor e do aluno. Neste sentido, estamos
buscando maneiras para a prática docente, com as quais esperamos que surjam possibilidades
que possam auxiliar o desenvolvimento do aluno buscando construir novos conhecimentos
não mais através da transmissão, mas do fazer, pesquisar e construir."

Saiba mais:

GOUVÊA, Simone Aparecida Silva. O uso da internet e a educação matemática. Diponível em <http://ccet.ucs.br/eventos/outros/egem/cientificos/cc67.pdf> Acesso em 17 set.2008.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

COMUNIDADES VIRTUAIS

Sugestão para leitura sobre Comunidades Virtuais, considerando a Educação Matemática: 

PONTE, João Pedro da; OLIVEIRA, Hélia. Comunidades virtuais no ensino, na aprendizagem
e na formação. Disponível em <
PONTE, João Pedro dahttp://www.spce.org.pt/sem/01Ponte.pdf>Acesso em 17 set.2008

domingo, 14 de setembro de 2008

Texto sobre Etnomatemática

http://www.ufrrj.br/leptrans/8.pdf texto sobre a Etnomatemática. No mesmo o autor fala sobre a etnomatemática e o autor faz uma crítica a etnomatemática. Esse texto pode servir de complemento ao vídeo que Fellipe Carlo mandou.

sábado, 13 de setembro de 2008

Do saber matemático ao fazer pedagógico:O de safio de educação

Uma das questões que vem sendo discutidas sobre o ensino da matemática é a de "pra que serve iso que estou aprendendo?", ou ainda , "vou mesmo utilizar tudo isso no meu dia-a-dia?".Na verdade, tudo que é aprendido tem sua função,mas então onde está o problema do aprendizado?Acretido que está na formação do professor( ou educador) do saber matemático para o fazer pedagógico.

Texto de Antônio Carlos Gomes da Costa

Escolher tornar-se um educador uma das mais nobres escolhas,porém é uma escolha bastante delicada,pois não se decide de uma hora para outra ser um educador.
A sua trajetória de vida,sua identidade,sua personalidade são fatores essenciais para a escolha de uma profissão e a educador não é diferente,pois ao exercer tal atividade o lado pessoal conta bastante uma vez que para saber lidar com as pessoas é preciso lidar consigo mesmo.
Todos profissionais têm objetivos a serem alcançados,traçam metas,criam planos e projetos e com o professor também acontece já que ele também tem objetivos como profissional, afinal existe (ou deve existir) um propósito para tal.O que pretende realizar ou contribuir com algo que tenha sentido em sua vida.
Educação e cidadania andam de mãos dadas e por isso, tornar-se um educador é também se tornar um cidadão.Uma pessoa que deverá formar cidadãos através de sua atividade deve pensar como cidadão.Ele é o responsável por uma boa parte da vida das pessoas e sua forma de pensar cidadão pode muito influenciar as gerações futuras tanto na construção de conhecimento como na aquisição de valores morais e sociais.
O professor deve também ter uma visão de mundo sempre a frente.Diante das frenéticas mudanças que acontecem no mundo no aspecto político,social,cultural e econômico, o professor deve se posicionar como um farol de sabedoria capaz de direcionar as pessoas para caminho de lutas,conquistas,melhorias e igualdade social.
O professor deve ver a educação como o meio sadio d erradicar tudo o que aflige nossa sociedade,e,ainda mais, deve ver a escola como sua arma para combater essas aflições e somar as necessidades de toda sociedade

II Fórum Baiano das Licenciaturas em Matemática

"O II Fórum Baiano das Licenciaturas em Matemática com o tema (Re)definindo os rumos para Formação de Professores de Matemática na Bahia, visa dar continuidade às discussões promovidas pela Sociedade Brasileira de Educação Matemática-SBEM, no II Fórum Nacional das Licenciaturas em Matemática, realizado na UNICAMP, em 2007 e, pela Regional Bahia, SBEM-BA, no I Fórum Baiano, realizado na UESC em 2006."

Vale a pena conferir!

http://sbemba.com.br/forumat2/

Verifique o nosso trabalho (Felipe Carlo, João Paulo e Olenêva publicado dos anais do evento:

http://www.sbemba.com.br/anais_do_forum/relato_de_experiencia/RE8.pdf

Nosso projeto: novas sugestões

Cinco cópias do nosso projeto, em andamento, foram distribuídas aos estudantes, para que pudesssem avaliá-lo, apresentar sugestões, melhorias, novas idéias etc.

O problema que escolhemos intervir é: falta de interesse pelos conhecimentos matemáticos escolares. Isso demonstra que buscaremos alternativas à resolução deste problema, através de uma Oficina de Matemática.
E o caso é sério!
"(...) Os resultados do Pisa (sigla, em inglês, para Programa Internacional de Avaliação de Alunos), divulgados ontem pela OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico), mostram que os alunos brasileiros obtiveram em 2006 médias que os colocam na 53ª posição em matemática (entre 57 países) (...) O pior resultado aparece em matemática. Numa escala que vai até seis, 73% dos brasileiros estão situados no nível um ou abaixo disso. Significa, por exemplo, que só conseguem responder questões com contextos familiares e perguntas definidas de forma clara."

Comente, após ler a reportagem na íntegra:
- oficinas de matemática podem contribuir para melhorar os resultados de aprendizagem, nesta disciplina?
- qual o papel do professor de matemática nesta luta por melhores resultados?
- as nossas discussões em aula e interações no blog têm contribuído para atiçar a nossa atenção para os problemas que encontraremos no exercício da docência em matemática e para a busca de soluções?

Acesse:
GOIS, Antonio; PINHO, Ângela. Brasil é reprovado, de novo, em matemática e leitura. Disponível em <http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u351481.shtml> Acesso em 13/09/2008.

UCSAL: Oficina de Jogos e Seminários Temáticos

O Instituto de Ciências Exatas (ICE) e o Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática (NEPEM) da Universidade Católica do Salvador (UCSal), informam que se encontram abertas as inscrições para os seguintes eventos:

Oficina: ATIVIDADES COM JOGOS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA
Seminários: 5º CICLO DE SEMINÁRIOS DE MATEMÁTICA – SEM

OBJETIVOS:
· Propiciar a reflexão de natureza teórico-conceitual e prático-aplicado de temas relacionados com a formação de professor de matemática;
· Oportunizar a integração de alunos dos diversos níveis e semestres do curso de licenciatura em matemática;
· Contemplar temas ou conteúdos que não são tratados nas diversas disciplinas do currículo;
· Ampliar as possibilidades do cumprimento das atividades complementares exigidas para a conclusão do curso de Licenciatura.

Carga Horária: 10 h/a Atividades Complementares
Período– 23/9 a 22/10
Horário do curso: 17:50/18:50
Inscrições: Secretaria do Curso de Matemática 15/9 a 22/9
Taxa inscrição: R$ 10,00
Certificado com mínimo de 75% de freqüência
Número de vagas: 40

PROGRAMAÇÃO:
1.Os Números Racionais - Prof. Antonio dos Santos Filho - 23 / 9 (terça-feira)
2.Números Os Reais - Profa Maria Zita de C. Braga - 24/9 (quarta-feira)
3.Função Quadrática - Profº Daniel de Cerqueira Goés - 26/9 (sexta-feira)
4.Fatoração e Racionalização - Profa Maria Auxiliadora Pires - 30/9 (terça-feira)
5. Matrizes Sistemas Lineares - Profa Vania Brito - 6/10 (segunda-feira)
6. Idéias sobre Funções - Profa Erica Araujo Martins - 7/10 (terça-feira)
7. Sistemas de Equações e Tecnologia - Prof Adelmo R. de Jesus - 08/10 (quarta-feira)
8. Aprendendo a Demonstrar em Matemática - Profa Miriam Fernandes Mascarenhas - 14/10 (terça-feira)
9 .Equações Exponenciais e Logarítmicas - Prof. Winston Fonseca de Carvalho - 15/10 (quarta-feira)
10. Função Modular - Profa. Odete Amanda Martinez - 22/10 (quarta-feira)

ATIVIDADES COM JOGOS PARA O ENSINO DE MATEMÀTICA- 1ª ETAPA
Prof. Antônio dos Santos Filho
Período - 15, 16 E 17/9/2008. HORÁRIO- 17: 40/18:50
Número vagas - 25
Inscrição - 8/9 A 13/9 NA SECRETARIA
Local - NEPEM
Taxa de material - R$ 10,00
Programa : papel do jogo no ensino da Matemática, Contig 60, Eu tenho quem tem, Nim, Dominó aritmético, Pega-varetas, Torre de Hanói, Sudoku, Kakuro, Números Lógicos.

Vale a pena conferir!

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Etnomatemática

Como não pude discutir sobre a Etnomatemática, pesquisei e achei esse trabalho maravilhoso do Prof. Agnaldo Ricien. Vendo esse vídeo me fez pensar sobre a Matemática que estamos ensinando e aprendendo, será que é realmente a matemática que foi pensada?

Espero que inspire a todos!!

video

o uso do blog

Percebo que usar o blog como ferramenta educacional é algo muito produtivo, pois dessa maneira podemos favorecer uma melhor aprendizagem para os alunos e teremos a oportunidade de aproximá-los do mercado de trabalho.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Para descontrair

Olá galera!
Achei uma curiosidade super legal!
É uma tabela mágica que pode ser utilizada como modelo matemático. É parecido com o que já conhecemos, mas é super interessante. Vejam em http://mat.absolutamente.net/c_tabela.html

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Exemplos concretos nem sempre são didáticos




Aprendizado: ensino de matemática tem sido um desafio ao professor

FRANCE PRESSE

Os exemplos concretos estão longe descer o melhor método pa­ra ensinar matemática, revela um estudo publicado nos Esta­dos Unidos. "É muito difícil ex­plicar princípios matemáticos a partir de um exemplo concreto", afirma Vladímir Sloutsky, autor do estudo e diretor do Centro pa­ra a Ciência Cognitiva da Univer­sidade do estado de Ohio.

"Os exemplos concretos podem ser uma boa maneira de provar o domínio dos conhecimentos já ad­quiridos, mas são maus instru­mentos de ensino", destaca Slouts­ky, cujos trabalhos aparecem na re­vista americana Science.

Para os estudantes que apren­dem uma regra matemática atra­vés de vários exemplos concretos será mais difícil reutilizá-la em um novo contexto, se compara­dos a estudantes que a aprende­ram exclusivamente de forma abstrata, destaca a pesquisa.

Os pesquisadores testaram sua teoria em um grupo de 80 es­tudantes divididos em quatro

subgrupos, que aprenderam um princípio de aritmética simples ilustrado por um, dois e três exemplos concretos, no caso dos três primeiros subgrupos, en­quanto o quarto subgrupo rece­beu apenas uma simples explica­ção abstrata.

Em seguida, o conjunto foi submetido a um questionário de múltipla escolha para testar sua compreensão do princípio de cál­culo aprendido. O melhor resul­tado (80% de respostas corretas) coube ao grupo de estudantes que aprendeu o princípio de for­ma puramente abstrata. Segundo artigo da professora Suely Druck, a qualidade do ensino da mate­mática atingiu, talvez, o seu mais baixo nível na história educacio­nal do País. A média em matemá­tica tem sido a mais baixa entre todas as áreas. O último Saeb (Sis­tema Nacional de Avaliação da Educação Básica) mostra que apenas 6% dos alunos têm o nível desejado. E a comparação inter­nacional é alarmante. No Pisa (Program for International Student Assessment) de 2001, o Bra­sil ficou em último lugar.







Objetos de Aprendizagem

Quem pôde acessar o blog ontem percebeu que eu tive dificuldade em definir Objetos de aprendizagem (pra encurtar a história: postei uma coisa sem conhecer o suficiente). Parei pra pesquisar isso hoje e até mesmo conhecer melhor a indicação que estou fazendo; acabei descobrindo acidentalmente ('entendendo melhor' talvez fosse o termo certo...) que OBJETOS DE APRENDIZAGEM na verdade é mais uma ferramenta que se propõe a auxiliar o processo de ensino e aprendizagem, pela wikipédia "Objeto de aprendizagem (OA) é uma unidade de instrução/ensino que é reutilizável. De acordo com o Learning Objects Metadata Workgroup, Objetos de Aprendizagem (Learning Objects) podem ser definidos por "qualquer entidade, digital ou não digital, que possa ser utilizada, reutilizada ou referenciada durante o aprendizado suportado por tecnologias". "

Maiores informações:
*Postagem da wikipédia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Objeto_de_aprendizagem
*MOODLE: http://www.moodle.ufba.br/course/view.php?id=8897 , é uma referência que contém um vasto material sobre ensino; dentro deste material existem documentos e links para sites que falam ou têm objetos de aprendizagem.

Entrevista sobre as vantagens desse recurso: http://www.moodle.ufba.br/mod/resource/view.php?id=1129

terça-feira, 9 de setembro de 2008

GESTAR: você conhece?!

"O Programa Gestar é desenvolvido pelo Fundescola em duas modalidades: Gestar I – para professores de 1ª a 4ª série e Gestar II para os de 5ª a 8ª série. Seu principal objetivo é a melhoria do desempenho dos alunos nas áreas temáticas de Língua Portuguesa e Matemática, por meio da formação continuada de professores.
(...) O Gestar utiliza material didático especialmente produzido pelo Fundescola e associa a teoria às questões práticas do cotidiano do professor. Uma parte dos estudos é realizada individualmente e a outra em grupos reunidos em uma escola-pólo, onde os professores recebem acompanhamento de um professor-formador.
Na área de Matemática, por exemplo, o programa propõe ao cursista trabalhar com seus alunos a resolução de problemas por meio de vários recursos, como desenhos e jogos pedagógicos: dominó, bingo, jogo da memória, xadrez, quebra-cabeça.(...)
Veja a matéria em:
http://mecsrv04.mec.gov.br/reforma/Noticias_Detalhe.asp?Codigo=5047

GESTAR 1 e GESTAR 2 estão integralmente disponíveis na INTERNET:
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=9848&Itemid=
Esse material é uma riqueza ao nosso trabalho.

Artigos sobre a Matemática

http://www.somatematica.com.br/artigos.php Neste site temos vários textos relacionados à educação. Excelentes textos

Softwares Matemáticos: Tecnologia a serviço do Saber

Quem não gosta de ter uma aula diferente: mais movimentada e com uso de um bom computador? Neste post estou disponibilizando alguns links onde é possível "baixar" estes aplicativos, idealizados para serem uma ferramenta auxiliadora no processo de ensino e apredizagem. Todos são de fácil manipulação, é só dá aquela velha bisbolhotada que aprendemos fácil!

O Aplicativo Régua e compasso: Disponível no site http://www.professores.uff.br/hjbortol/car/ , este software permite fazer construções com geométricas e até mesmo fazer animações, vale a pena dar uma conferida! (Afinal, desenhar sem ter trabalho com impressição de instrumentos é uma MARAVILHA!)

GeoGebra: Disponível em http://www.geogebra.org/ , este aplicativo permite fazer um estudo de Geometria Analítica.

Winmat e Winplot: Estes velhos, porém utéis recursos estão disponíveis na página do DAMAT-UFBA http://twiki.dcc.ufba.br/bin/view/DAMAT/ArquivosDamat, o primeiro é uma ferramenta de auxílio para o estudo de Matrizes e o segundo para estudo do gráfico de funções.

No Simpósio vai ter curso pra utilizar o winplot enquanto o GeoGebra e o Régua e Compasso foram utilizados em atividades do XI Encontro.

Frutos do XI Encontro

Saudações,



Por conta de alguns contratempos esta é a minha primeira postagem, TRÊS VIVAS PRA MIM!

Como todos já sabem na semana passada aconteceu no PAF I o XI Encontro de Matemática da UFBA, neste evento houve alguns momentos que nos permitiram a reflexão a cerca da Licenciatura em Matemática. Dentre as muitas atividades destaco duas delas por terem um direcionamento mais vísivel: A palestra do Prof Leandro Diniz ("Um Olhar para a Licenciatura em Matemática: Estamos cumprindo o nosso Papel?") e a mesa redonda (Licenciatura em Matemática) presidida pelos professores Adelmo Ribeiro, Joseane Topázio e Rosely Pestana.



Para aqueles que estão curiosos em rever o material ou aqueles que ainda não puderam vê-lo, algumas coisas já estão disponíveis na página do DAMAT (http://www.damat.dcc.ufba.br/)


O prof. Leandro forneceu ainda alguns Links interessantes, são eles:


1-O site do Grupo EMFoco: http://www.grupoemfoco.com.br/

2-A Home Pagedo prof Leandro : www.grupoemfoco.com.br/leandro

3-Um grupo associado do qual ele participa: http://www.rc.unesp.br/igce/pgem/gpimem.h=ml

4-O site da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, regional bahia (SBEM-BA): http://www.sbemba.com.=r/



5-Uma entrevista que UBIRATAN D'AMBROSIO realizou com PAULO FREIRE:
http://www.rpi.edu/~eglash/isgem.dir/texts.dir/ubi_paulo.=tm

Pra abrir pelo link vc precisa do realplayer: http://codecpack.nl/realalt182.exe


E o site do encontro brasileiro de estudantes de pós em educação matemática (EBRAPEM), para os que querem conhecer as pesquisas em andamento no Brasil sobre Educação Matemática: http://www.ebrapem.mat.br/=nais.html



O prof. Leandro deixou aqui ainda uns dois vídeos aqui, mas acabo de perceber que o nobre o JP já postou os devidos comentários. Bem, ainda tem disponível um arquivo em PDF intulado "A Tabuada na cabeça" e os slides utilizados na palestra.

Essa vale um top five no CQC

Qual a probabilidade de, na comemoração de um gol, quebrar a perna e depois vê-lo anulado?

Se um matemático calculasse, diria que é mais difícil que ganhar na mega sena, acho que é por isso que achei muito engraçado o que aconteceu com Fabián Espíndola. O fato de ele ser argentino, então...

domingo, 7 de setembro de 2008

Jogos no Ensino da Matemática

a noção de jogo aplicado à educação desenvolveu-se com lentidão e penetrou,
tardiamente, no universo escolar, sendo sistematizada com atraso. No entanto,
introduziu transformações decisivas... materializando a idéia de aprender divertindo-
se... (Schwartz,1966)



Prazer e alegria não se dissociam jamais. O“brincar” é incontestavelmente uma fonte inesgotável desse dois elementos. O jogo, o brinquedo e a brincadeira sempre estiveram presentes na vida do homem, dos mais remotos tempos até os dias de hoje, nas mais variadas
manifestações (bélicas, filosóficas, educacionais). O jogo pressupõe uma regra, o brinquedo é o objeto manipulável e a brincadeira, nada mais é que o ato de brincar com o brinquedo ou mesmo com o jogo. Jogar também é brincar com o jogo. O jogo pode existir por meio do brinquedo, se os
brincantes lhe impuserem regras. Percebe-se, pois, que jogo, brinquedo e brincadeira têm conceitos distintos, todavia estão imbricados; e o lúdico abarca todos eles.
Quando uma criança brinca, demonstra prazer em aprender e tem oportunidade de lidar com suas pulsões em busca da satisfação de seus desejos. Ao vencer as frustrações aprende a agir estrategicamente diante das forças que operam no ambiente e reafirma sua capacidade de enfrentar os desafios com segurança e confiança.

Particularmente, a participação em jogos de grupo permite conquista cognitiva, emocional, moral
e social para o estudante, uma vez que poderão agir como produtores de seu conhecimento, tomando decisões e resolvendo problemas, o que consiste um estímulo para o desenvolvimento da competência matemática e a formação de verdadeiros cidadãos.


http://www.bienasbm.ufba.br/OF11.pdf



Aparecida Francisco da Silva (afsilva@mat.ibilce.unesp.br)*
Helia Matiko Yano Kodama (kodama@mat.ibilce.unesp.br)*

sábado, 6 de setembro de 2008

Laboratório de Matemática

Você não pôde ir ao LEMA?
Eis agora uma proposta interessante para você realizar.
Faça uma pesquisa sobre algum aspecto da Laboratório de Matemática à Educação Matemática.
Apresente suas conclusões em sala, no próximo encontro, 12 de setembro, ou poste no blog. Não esqueça de levar ou indicar as referências.
Aguardamos.

Etnomatemática e Filosofia da Matemática

Na próxima sexta, 12 de setembro, estamos com a agenda cheia:
- uma avaliação da experiência LEMA;
- uma discussão sobre Etnomatemática e Filosofia da Matemática;
- mais um passo no nosso projeto, depois do LEMA.

Textos para a discussão (também disponível para xérox):
D’AMBROSIO, Ubiratan. O programa Etnomatemática. Disponível em <http://vello.sites.uol.com.br/filosofia.htm> Acesso em 03 set.2008.

VASCONCELOS, Cláudia Cristina C. A Filosofia da Matemática na Formação de Professores. Disponível em www.ipv.pt/millenium/arq9_1.htm Acesso em 03 set. 2008.

Observação: o texto que Adam sugeriu sobre História da Matemática, fica para o encontro seguinte, conforme planejamento.

Texto

http://vello.sites.uol.com.br/interface.htm Segue aí um link sobre História da Matemática

Modelagem Matemática

Segue um texto sobre um assunto , que me despertou muito interesse. Depois do Encontro, me interessei muito pelo mesmo. Aí está o link
http://www.sbem.com.br/gt10/gtmm2006.pdf

a importância do blog.

olá companheiros, estou aqui pela primeira vez postando algo.

o blog se torna importante nessa nossa caminhada desde que sirva para criaçao de novas idéias e críticas sobre nossos trabalhos.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

XI Encontro de Matemática - Mini Curso 01



Uma abordagem contextual da lógica matemática


Um pouco sem jeito ao começar o mini curso, pois Leando Diniz acabava sua palestra e nela disse que não há matemática sem contextualização (logo o título do mini curso seria redudante), Antônio Andrade (foto) explicou que concordava com seu colega e que a escolha do título foi feita para dar uma idéia ao público do que se tratava o seu mini curso, previsto para os dias 03, 04 e 05 de setembro, no XI Encontro de matemática da UFBA.

Foram feita inúmeras questões (inclusive a famosa "Onde está o pai?") muito divertidas e desafiava não só as alunos do terceiro ano do Ensino Médio (estavam presentes, sim, e participando entusiasmados) como também aos licenciados e licenciandos. Entre uma questão e outra não deixou de falar de proposições, conectivos e da tabela-verdade.

XI Encontro de Matemática - Oficina de Jogos para o Ensino Básico


O professor Antônio Santos (foto) conduziu a oficina de Jogos para o Ensino Básico durante os dias 03 e 04 de setembro. Como o nome já diz, a oficina serviu para ensinar ao educador como fazer a Matemática se tornar divertida e atingir o objetivo que é ajudar o aluno na construção de seu conhecimento por meio de jogos.


Alguns dos jogos apresentados foram: Sudoku, kakuro, números lógicos, Torre de Hanoi, quebra-cabeça de números, jogo "eu tenho... quem tem?", dominó aritmético.


Nossa colega Carla Danúbia deu um show ao declamar Poesia Matemática. O vídeo a seguir (com um áudio ruim) não me deixa mentir:



XI Encontro de Matemática - Palestra 11

Um olhar para a licenciatura matemática: Estamos cumprindo o nosso papel?

Este foi o título da palestra de Leandro Diniz (foto) no terceiro dia do XI Encontro de Matemática da UFBA. Em uma palestra com pouco mais de uma hora de duração, ele enfocou mais na Diretriz Curricilar Nacional (já visto no nosso curso de Estágio Supervisionado II com a professora Olenêva), onde mostrou muitas habilidades que um profissional formado no curso de Licenciatura em Matemática deve possuir. Fez referências às suas experiências em sala de aula e salientou a importância de utilizar a experiência de vida do aluno para facilitar o processo de aprendizagem, exemplificando com o vídeo abaixo:


Exibiu também os primeiros minutos do vídeo "O barato de Pitágoras" (para mostrar a importância do conhecimento do educador matemático e a necessidade de se explicar o porquê) fornecido no seguinte link:

Ainda no tema dos porquês matemáticos, Leandro mostrou uma forma simples e divertida de como explicar ao aluno o porquê do "vai 1" (ele prefere a expressão "troca") na adição e o porquê do "toma emprestado" (ele prefere a expressão "transforma") na subtração. Ensinou (ou relembrou) a Regra do Dedinhos, para substituir a tabuada de papel para as multiplicações de 6 a 10, mostrando como a Matemática pode ser fácil e interessante para as crianças.

Foi uma palestra muito boa e com certeza será aplicada na vida profissional de quem assistiu.

Fica a dica: http://www.dominiopublico.gov.br/, uma biblioteca digital fornecida pelo Governo Federal para o desenvolvimento da eduação. No site há vídeos, livros, músicas, imagens etc. que podem servir para a nossa atuação em sala de aula.

Fica a dica 2: http://www.grupoemfoco.com.br/. Trata-se de um grupo de professores que se reunem quinzenalmente para discutir o processo de ensino-aprendizagem da Matemática.

Orkut

Pessoal....
Como temos muitas fotos dos eventos resolvi criar um perfil no orkut para postarmos as fotos.
login e senha são os mesmo...
abraço a todos!!!!
http://www.orkut.com.br/Profile.aspx?uid=7329066242788551098

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

XII EBRAPEM

Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-graduação em Educação Matemática

Educação Matemática: possibilidades de interlocução.

Vale a pena conferir os anais:

http://www2.rc.unesp.br/eventos/matematica/ebrapem2008/trabalho_geral_alunos.php

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

XI Encontro de Matemática - Exposição do LEMA Parte III

O Laboratório de Ensino de Matemática (LEMA) consiste num espaço destinado ao desenvolvimento de atividades que facilitem a aprendizagem da Matemática.
Elaine

Roberto


Tâmara e professora Cristiana Valente, uma das responsáveis pela exposição

Nossa professora Olenêva e seu filho

Marcus Vinícius, Adam, Gledson e Felipe Carlo ao fundo em um momento de distração

terça-feira, 2 de setembro de 2008

XI Encontro de Matemática - Exposição do LEMA Parte II

O evento contou ainda com a visita de colegas de outros cursos da Univesridade Federal da Bahia, estudantes do curso de Matemática de outras instituições espalhadas pela Bahia e alunos do Ensino Básico.
João Paulo

Felipe Carlo


Cristiane

Tâmara


Renata

XI Encontro de Matemática - Exposição do LEMA Parte I

A exposição dos modelos do Laboratório do Ensino da Matemática ocorreu no dia 02/09 e contou com a nossa participação
Amanda

Carla


Madson


Júlio César

Adam

Modelagem matemática como estratégia de ensino e aprendizagem da Matemática

A Modelagem Matemática é vista como estratégia de ensino e aprendizagem na disciplina deMatemática por adotar uma metodologia diferenciada das convencionalmente utilizadas pelamaioria dos educadores.

ccet.ucs.br/eventos/outros/egem/posteres/po20.pdf

Interessante! Vale a pena ler este texto.
Como Matemáticos Educadores, precisamos utilizar a modelagem matemática para contextualizar a matemática. Os modelos são fundamentais para que a matemática se torne mais atraente!!!

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Texto

http://www.prof-auxiliadora.com/artigos/a%20matem%E1tica%20na%20escola....doc
Texto interessante para a nossa oficina